Thursday, November 30, 2006

relatório " intervenção em uma unidade escolar "

UFBA - UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
FACULDADE DE EDUCAÇÃO
CURSO : CIÊNCIAS NATURAIS
DISCIPLINA : ENSINO DE CIÊNCIAS
PROFESSORA: ADRIANE LIZBEHD HALMANN
ALUNOS: JOSÉ REIS JUNIOR. MARIA HELENA, SUELEN SOARES























RELATÓRIO
INTERVENÇÃO EM UMA UNIDADE ESCOLAR










SALVADOR 2006-02


1.0 INTRODUÇÃO

O trabalho foi elaborado e executado por : José Reis Junior, Maria Helena e suelen, Soares ,estudantes do curso de Licenciatura em ciências naturais da UFBA ,e teve como objetivo principal aplicar os conhecimentos e vivências adquiridas na disciplina EDC 270 em uma unidade de ensino fundamental da cidade do Salvador estado da Bahia. A unidade escolhida foi o Colégio Estadual Vitor Soares , localizado no bairro da Ribeira, que atualmente tem como diretora a senhora Márcia Alfano Santiago com sua equipe de educadores e coordenadores.
O colégio adota uma linha pedagógica que permite a interação comunidade escola o que facilita o desenvolvimento e aplicação de qualquer atividade que venha fazer parte do universo educacional. Isso só vem provar que a escola pode funcionar como centro de pesquisa , produção do conhecimento e construção do saber. Para tanto a escola tem como prática pedagógica a abordagem ”sócio interacionista" . Essa abordagem considera a formas pelas quais pessoas lidam com estímulos ambientais organizados, sentem e resolvem os problemas e aplica os conhecimentos adquiridos no ambiente que os cercam. O aluno é visto como sujeito ativo que responde aos estímulos age sobre eles constrói e organiza seu próprio conhecimento.
Nesse relatório poderemos observar todo processo de elaboração de uma aula desde seu planejamento até sua execução.

1.1 Perfil da unidade escolar
PÚBLICO ATENDIDO: Estudantes da região itapagipana (Ribeira , Bonfim) e subúrbio ferroviário de Salvador. Além desse público a escola atende portadores de deficiência auditiva e mental e faz parte do “projeto inclusão “ de alunos considerados especiais .
CARACTERÍSTICAS GERAIS: O colégio pode ser considerado de médio porte ,atende ao ensino fundamental e médio. Conta com uma secretaria que atende os três turnos, uma sala de direção, uma de vice direção,uma para coordenação, além da sala de professores. O colégio funciona em dois pavilhões onde um dos pavilhões funciona a oficina para portadores de deficiência auditiva e mental. O colégio é munido de retro-progetor, data show, xerox,rádio escolar, quadra polivalente, vários aparelhos de som, vídeo. DVDs , laboratório de ciências, sala central de educação física ,experimentoteca,

biblioteca e um teatro equipado onde são realizadas palestras, reunião e atividades artísticas.
PROGRAMAÇÃO INSTITUCIONAL: DIRETOR > VICE DIRETOR > COORDENAÇÃO > > PROFESSORES > FUNCIONÁRIOS.
Obs. Apesar do colégio possuir uma programação institucional, é de comum acordo optar por uma gestão participativa onde foi criado um colegiado representado por professores ,pais de alunos , alunos, funcionários e diretores, esse colegiado é renovado a cada 3 anos e é de total responsabilidade deste as decisões relativas ao colégio.

PLANO POLÍTICO PEDAGÓGICO : O colégio segue a linha Sócio Construtivista. Onde o curso de Ciências possui uma carga horária de 180 horas anual dividida em três aulas semanais com duração de 50 minutos cada. Os temas curriculares seguem os PCNs e são selecionados na semana pedagógica de acordo com as necessidades do alunado e comunidade



















1.2 RELATO DA OBSERVAÇÃO
O perfil dos alunos que freqüentam a escola pode ser considerado de poder econômico baixo , salvo alguns que tem relativamente um poder aquisitivo razoável e que vieram de escola particular . a coordenadora nos deixou livre para trabalhar e o professor José Reis nos apresentou a 5ª série A que estava ansiosa para conhecer as pessoas que iriam interagir com eles. Como só houve um encontro de aproximadamente uma hora e meia só foi possível conhecer as crianças de uma maneira superficial. Em seguida o professor José Reis ministrou uma aula expositiva sobre origem do universo e formação das rochas e vulcões, tentando despertar no alunado o interesse pelo assunto e a importância disso para as suas vidas. Pode-se observar que muitos alunos estão na escola sem propósito algum e é muito difícil para um professor por mais recursos que ele utilize chegue a seu objetivo que é fazer com que o aluno aprenda. Logo após ,seguindo um dos três momentos pedagógicos tiramos algumas rochas de uma caixa e fomos mostrando a eles perguntado onde eles tinham vistos aqueles tipos de rochas e qual seria sua aplicação no dia-a-dia deles, o resultado foi surpreendente já que eles sabiam que algumas rochas eram usadas para fazer asfalto, alvenaria de casas, pisos , balcões de granito e mármore , que serviam também para a pavimentação e decoração de ruas e até para fazer peças de artesanato. Enquanto que outros não tinham conhecimento algum sobre o assunto abordado e novamente surpreenderam quando foi abordado que a areia é formada pelo desgaste das rochas. para encerrar a atividade foi elaborado uma dinâmica do tipo perguntas respostas na forma de palavras cruzadas onde quem acertava as perguntas era premiado , como se era de esperar foi aquela festa. Ao final da dinâmica distribuirmos o restante das balas com toda a turma, explicando-lhes que não tinhamos como objetivo que eles se tornassem rí vais, e que os mesmos aprendessem a cooperação e o trabalho em equipe, dessa forma poderíamos desenvolver valores








1.3 CONTEXTO E JUSTIFICATIVA
O ensino de ciências nos últimos tempos tem despertado o interesse da comunidade que trabalha com educação por ser o ensino de ciências uma disciplina onde o aluno aprende a relacionar com o seu cotidiano atividades pertencentes a praticamente todas as áreas do conhecimento humano. Pensando nisso, é que resolvemos abordar em sala de aulas temas capazes de nos dar um feedback de como funciona essa interação aluno / professor, detectar possíveis falhas no sistema e entender como o planejamento curricular pode servir de eixo orientador para aplicação de novas idéias.

























2.0 PLANEJAMENTO
O planejamento constitui, necessariamente, a primeira etapa de qualquer trabalho. Planejar atividades didáticas consiste em fazer a previsão de objetivos e a seleção de meios que melhor permitam alcança-los, é ainda determinar, o que, quando e como ensinar, no sentido de atingir ideais educativos respeitando sempre as necessidades dos alunos. O planejamento pode ser vantajoso para o professor por garantir um ensino baseado em um método, impede a rotina e a improvisação e possibilita o melhor aproveitamento do tempo.
Todo planejamento deve ser coerente com os objetivos em vista e deve ser baseado nas características do aluno e deve está dentro das possibilidades de realização da escola e comunidade; deve partir das experiências anteriores dos alunos e principalmente deve ser flexível a ponto de permitir reformulações durante o ano letivo.
O planejamento foi elaborado de acordo com o planejamento curricular da escola escola que pede que seja trabalhado na quarta unidade " solo e ecossistema "
A idéia principal seria levar os alunos para visitar o Museu Geológico da Bahia mas não foi possível pois a escola não dispunha de data para a realização de tal atividade, sendo assim tivemos que redirecionar nosso planejamento para a realização de uma aula dividida em dois blocos onde no primeiro bloco realizou-se uma aula expositiva explorando os três momentos pedagógicos e no segundo momento realizou-se uma atividade para testar os conhecimentos adquiridos pelos alunos













2.1 TEMA
O tema como já foi citado foi escolhido seguindo o planejamento curricular da escola que orienta que seja trabalhado na quarta unidade "solo e ecossistema". Dentro desse tema principal resolvemos trabalhar : rochas e formação do solo, abordando os fatores relevantes ao cotidiano do aluno e sua aplicabilidade nos diferentes setores sociais e econômicos .



























2.2 OBJETIVOS
• Proporcionar ao aluno a possibilidade de saber como o solo que ele pisa foi formado, destacando a origem das rochas, vulcões e terremotos e qual a importância disso para suas vidas;
• Proporcionar ao aluno o entendimento que o solo pode sofrer alterações devido a fenômenos naturais e ação do homem
• Levar a compreensão do aluno que o solo é uma fonte de elementos essenciais para a vida do ser humano e para o desenvolvimento da humanidade;

























2.3 CONTEÚDOS RELACIONADOS

• CONCEITUAIS: tomar conhecimento do que foi o " Big-Bang " e como esse fenômeno deu origem aos planetas inclusive a terra; aprender como o solo de nosso planeta foi formado; saber identificar e diferenciar os tipos de rochas e compreender como elas são formadas; saber explicar como os vulcões e terremotos são formados.
• PROCEDIMENTAIS : Buscar no aluno a aplicação do conhecimento adquirido em sala de aula em seu cotidiano , fazendo-o entender a relevância de estudar esse assunto.

• ATITUDINAIIS : despertar a curiosidade do aluno ; valorizar o trabalho em grupo , criando nele senso de organização e liderança ; esperar que ele desenvolva consciência ecológica de preservação do planeta




















2.4 METODOLOGIA ADOTADA

A metodologia adotada foi direcionada para alunos da 5ª série do ensino fundamental do Colégio Estadual Vitor Soares, na disciplina de ciências naturais. Para tanto foi utilizada duas aulas germinadas com duração de 50 minutos cada, os conteúdos foram passados através de aula expositiva, exposição de algumas rochas mais comuns e qual seria sua aplicabilidade no dia-a-dia do aluno, além de jogos educativos com a finalidade de saber se o aluno absorveu o conteúdo dado
A metodologia adotada pode ser resumida da seguinte forma:
• Apresentação do tema
• Investigação do conhecimento prévio do aluno
• Desenvolvimento de conceitos em torno do tema
• Aplicação de atividades com observação do despenho do aluno
• Identificação de necessidades de retomada de questões já trabalhadas;


















2.5 CRONOGRAMA

1º encontro: definição do local a onde ocorreria a intervenção;
2ª encontro: visitação da escola;
3ª encontro: elaboração do planejamento;
4ª encontro: intervenção em sala de aula


























2.6 RECURSOS

• Quadro e piloto;
• Amostras de rochas;
• Livro didático;
• Retro projetor;
• Papel oficio;
• Premiação























2.7 AVALIAÇÃO
Por se tratar de uma aula dinâmica o aluno foi avaliado de forma conceitual, através de um jogo tipo pergunta / resposta que os forçavam a raciocinar sobre a utilidade das informações que lhes foram passadas para suas vidas. Além disso podemos observar seu envolvimento e como sua criatividade podem contribuir para o processo ensino aprendizagem.



























3.0 RESULTADOS
Após a intervenção realizada em sala de aula podemos observar como aspectos positivos o aumento da interatividade dos alunos entre si, através do trabalho desenvolvido; a contextualização do conteúdo pode tornar possível a comprovação de que realmente houve aprendizagem, sendo proveitoso para ambas partes (professor-aluno). Em contrapartida o fato de termos pouco tempo para desenvolver a atividade impediu que o processo de ensino-aprendizagem fosse mais abrangente.


























4.0 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Baseado em textos discutidos em sala de aula (“Conhecimento:científico e cotidiano”; “Aluno sujeito do conhecimento”; “Conhecimento e sala de aula”).

Saturday, November 18, 2006

Planejamento de Aula
Universidade Federal da Bahia
Faculdade de Educação
Docente: Adriane
Disciplina: Ensino de Ciências
Discentes: José Reis
Maria Helena
Suélen Soares







Nome da instituição : Colégio Estadual Vitor Soares
Tel. 33122382
Mantenedora: Secretaria De Educação Do Estado Da Bahia
diretora : Márcia Alfano
Vice diretor : José Mendes
Coordenadora: Ivone Miranda


PÚBLICO ATENDIDO: Estudantes da região itapagipana (Ribeira , Bonfim) e subúrbio ferroviário de Salvador. Além desse público a escola atende portadores de deficiência auditiva e mental e faz parte do “projeto inclusão “ de alunos considerados especiais em sala de aula.
CARACTERÍSTICAS GERAIS: O colégio pode ser considerado de médio porte ,atende ao ensino fundamental e médio. Conta com uma secretaria que atende os três turnos, uma sala de direção, uma de vive direção,uma para coordenação, além da sala de professores. O colégio funciona em dois pavilhões onde um dos pavilhões possui funciona a oficina para portadores de deficiência auditiva e mental. O colégio é munido de retro-progetor, data show, xerox,rádio escolar, quadra polivalente, vários aparelhos de som, vídeo. DVDs , laboratório de ciências, sala central de educação física ,experimentoteca, biblioteca e um teatro equipado onde são realizadas palestras, reunião e atividades artísticas.

PROGRAMAÇÃO INSTITUCIONAL: DIRETOR > VICE DIRETOR > COORDENAÇÃO > > PROFESSORES > FUNCIONÁRIOS.
Obs. Apesar do colégio possuir uma programação institucional, é de comum acordo optar por uma gestão participativa onde foi criado um colegiado representado por professores ,pais de alunos , alunos, funcionários e diretores, esse colegiado é renovado a cada 3 anos e é de total responsabilidade deste as decisões relativas ao colégio.

PLANO POLÍTICO PEDAGÓGICO : O colégio segue a linha Sócio Construtivista. Onde o curso de Ciências possui uma carga horária de 180 horas anual dividida em três aulas semanais com duração de 50 minutos cada. Os temas curriculares seguem os PCNs e são selecionados na semana pedagógica de acordo com as necessidades do alunado e comunidade


Planejamento da Aula



Meta: Levar os alunos a compreenderem o processo de formação da Terra. Sendo estes capazes de identificarem os tipos de rochas existentes , como o solo é formado e fazer com que eles compreendão como são formados os vulcões e terremotos , e qual a utilidade dessas informações em seu dia-a- dia

1o. Momento ( Problematização )

Levar algumas rochas encontradas no dia-a-dia dos alunos e provocá-los a falarem o que entendem do material exposto, através de questionamento tais como : de onde vem as rochas? Como foi formado o solo que pisamos ; o porque dos terremotos e vulcões

2o. Momento ( Organização do Conhecimento )

Através de aula expositiva , juntamente com o livro didático Serão desenvolvidos os conceitos e relações do tema com o cotidiano dos alunos, além disso se fará uso transparências (para visualização de imagens) e amostras de rochas.


3o. Momento ( Aplicação do Conhecimento )

Será feita uma brincadeira com os alunos, utilizando uma caixa de perguntas e uma caixa com amostras de rochas. Tornando possível a observação do que realmente foi apreendido pela turma.
Ao final da aula o aluno terá condo de identificar ao seu redor o que é uma rocha magmática, sedimentar e metamórfica, além de tomar conhecimento das riquezas minerais do Brasil e qual a importância dessas informações para suas vidas

Tuesday, October 17, 2006

atividade edc270 : questões

1-Porque planejar ?

R= O planejamento constitui, necessariamente, a primeira etapa de qualquer trabalho. planejar atividades didáticas consiste em fazer a previsão de objetivos e a seleção de meios que melhor permitam alcança-los, é ainda determinar o que , quando e como ensinar, no sentido de atingir ideais educativos e propostas estabelecidas respeitando sempre as necessidades e possibilidades dos alunos.
O planejamento pode ser vantajoso para o professor por garantir um ensino baseado em um método, impede a rotina e a improvisação e possibilita o melhor apreveitamento do tempo.todo planejamento deve ser coerente com os objetivos em vista , deve se basear nas características dos alunos levendo em conta suas necessidades e possibilidades , deve está dentro das possibilidades de realização da escola e comunidade, deve partir das experiências anteriores dos alunos e principalmente deve ser flexível a ponto de permitir reformulações durante o ano letivo , o bom planejamento deve conter: o que se vai ensinar, porque se vai ensinar e para que vai ensinar.


2-O que deve ser levado em consideração ao planejar as aulas de ciências ?

R=Por ser uma disciplina bastante atraente, de um modo geral as crianças têm grande interesse pelo conhecimento do mundo que as cercam e cabe ao professor aproveitar essa curiosidade para conduzir essas crianças à pesquisa, experimentações, observações, raciocínio, redescorberta e conclusões dos fatos.
Ao se planejar as aulas de ciências o professor deve levar em consideração a promoção de uma aprendizagem mais significativa, favorecendo a aquisição de conhecimentos, procurando desenvolver inúmeras habilidades e atitudes( habilidades de estudo , de resolução de problemas , atitude científica e censo crítico), desta forma o professor levará o aluno a acompanhar o progresso da humanidade ajudando-o a adaptar-se ao meio bem que vive.
No final de cada aula o aluno deve ser capaz de : conceituar o conteùdo dado além de está aptos a demonstrar habilidades , hábitos e atitudes em cima do que foi visto

Tuesday, September 19, 2006

Lista de periódicos atualizada

PERIÓDICOS
  • LISTA DE PERIÓDICOS DA ÁREA
  • Nova Escola - Editora Abril
    www.novaescola.com.br
    Endereço: Avenida das Nações Unidas 7221 6º andar CEP 05425-902 São Paulo-SP
    Para publicar:Roberta Marinho – 2ª a 6ª das 1030h às 1230h e 16:00h às 18:00h. Fone: 0800 703 2055
    novaescola.abril@atleitor.com.br
    TEMAS: Pcn, Educação e Cidadania, Pedagogia como Ciência, Exclusão digital, Inclusão, Planejamento, Avaliação, Gestão escolar, Tecnologia
  • Revista Superinterresante – Editora Abril
    www.superinteressante.com.br
    Endereço: Avenida das Nações Unidas 7221 8º andar CEP 05425-902 São Paulo-SP
    Para publicar: Adriana Meghello – superleitor.abril@atleitor.com.br
    TEMAS: Últimas descobertas, Novas Tecnologias, Curiosidades e Polêmicas
  • Revista do Professor
    www.revistadoprofessor.com.br
    Endereço: Rua Arthur Falkenback 50 Centro Cep 96640-000 Caixa Postal 87 Rio Pardo-RS
    Para publicar: Rua Arthur Falkenback 50 Centro Cep 96640-000 Caixa Postal 87 Rio Pardo-RS
    TEMAS: Formação continuada, Ensino Fundamental, Ensino Infantil, Proposta Pedagógicas, metodologias.
  • Revista Educação – Editora Segmento
    Endereço: Rua Cunha Gago 412 1º andar Cep: 05421-001, São Paulo-SP
    Para publicar: Enviar formulário p/ Redação no site
    www.revistaeducacao.com.br Fone: 11 3039-5600
    TEMAS: Política Educacional, Alfabetização, Ciência, Cultura, Pedagogia, Cidadania e Psicologia.
  • Investigação em Ensino de Ciências - ISSN 1518-8795
    http://www.if.ufrgs.br/public/ensino/revista.htm
    Endereço: M. A. MOREIRA.Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Caixa Postal 15051, Campus do Vale Cep: 91501-970 Porto Alegre- RS - Brasil
    Para publicar: para remessa de artigo utilize o endereço acima.
    TEMAS: uma revista voltada exclusivamente para a pesquisa em ensino/aprendizagem de ciências (Física, Química, Biologia ou Ciências Naturais quando forem enfocadas de maneira integrada)
  • Revista Ciência HOJE
    Endereço: Instituto Ciência Hoje - Av. Venceslau Brás, 71 - casa 27, 22.290-140 Rio de Janeiro - RJ - Fone: (21) 2109-8999 - Fax: (21) 2541-5342
    Para Publicar: Enviar formulários de contato para os diferentes departamentos do Instituto Ciência Hoje. Contato com a central de atendimento pelo número 0800 727 8999 ou envie um e-mail para
    contato@cienciahoje.org.br.
    Temas: Quantos neurônios tem um cérebro?, Plutão rebaixado a 'planeta anão', Células-tronco humanas sem sacrifício de embriões
  • Revista Globo Rural - Editora Globo
    www.globorural.globo.com
    Endereço: Av. Jaguaré, 1485, São Paulo-SP Cep: 05346-902 Fone 11 37677707Para publicar: Fone 11 37677707 Diretor de Redação: André Jalonetsky
    Temas: Criação de animais; Tecnologia; Pragas agrícolas; Agropecuária; Agronegócios.
  • Revista Galileu - Editora Globo
    www.galileu.globo.com
    Endereço: Av. Jaguaré, 1485, São Paulo-SP Cep: 05346-902Para publicar: Fone 11 37677758 Diretor de Redação: André JalonetskyTemas: Saúde; Comportamento; Cultura; Astronomia; Ecologia e História.

Wednesday, September 06, 2006

SÍNTESE DOS COMENTÁRIOS AS DEZ PERGUNTAS EDC 270

síntese dos comentários das dez perguntas ( EDC 270 )


Discutir ciência é muito legal por ser uma disciplina que faz parte do nosso cotidiano . Desde que nascemos até o momento da morte convivemos com a ciência , todo que sabemos hoje é fruto do pensamento de cientistas que viveram em épocas passadas e que contribuiram significativamente para o nosso conhecimento cientíco . Desde que foi lançada a teoria do big-bang, passando-se pela teoria da evolução das espécie de Darwin e as contribuições de Copêrnico ,Galileu , Newton e recetimente Aeisten a ciencia não parou . hoje ciência e tecnologia andam de mãos dadas sendo quase impossivél separar uma da outra, e o que dizer da informação , uma noticia ou acontecimento em tempos remotos levariam meses para chegar ao seu destino hoje com um click podemos viajar o mundo em segundos .E como nos professores ficamos nesse turbilhão de informações e novidades cientifícas ? teremos que ter a capacidade de filtrar e dependendo do suporte que tivermos estabeler metas e objetivos capazes de fazer com que essas informações e novidades cheguem de maneira clara ao nosso alunado , hoje reclama-se muito de falta de condições nas escolas , mas o ensino de ciências por mais contraditório que seja so depende de criatividade e boa vontade ,apesar da tecnologias avançadas nada substitui um bom livro uma ida a biblioteca ou até mesmo um bom filme ou palestra , portanto fazer ciência é desenvolver a capacidade de raciocínio e mental do aluno ,dentro de nos existe um universo.


josé reis

Tuesday, September 05, 2006

A IMPORTÂNCIA DA COMPREENSÃO DAS ESCALAS

A IMPORTÂNCIA DA COMPREENSÃO DAS ESCALAS: Quando se deseja registrar as ocorrências de um estudo científico, é necessário um meio para representar os acontecimentos e fenômenos adequadamente, então recorre-se as escalas.
A compreenção das escalas é de fundamental importância na socialização dos alunos, desde cedo, faz-se uso das escalas mesmo que seja de uma forma inconsciente, podemos observar esse fato quando a criança sente que um objeto é mais pesado que outro, quando toma-se um volume, ou até mesmo quando mede-se algo. cabe ao professor orientar o aluno de forma que ele transforme essas informações em liguagem matemática, cabe ao professor também que para cada medida dessa existe um padrão que servirá de parâmetros para a execução das medidas

Thursday, August 24, 2006

esse é o novo blogger do reis